O que o ensino não te ensina — Escola de Dinheiro

Olá minha coxinha de jaca com tofupiry :)

Tem tanta coisa acontecendo na minha vida, que às vezes eu surto.

A real é que surtar é fundamental na sociedade doente que vivemos, esse ato chega até ser considerado um sinal de sanidade mental.

Desde que eu fui reconhecida pela Revista Pequenas Empresas, Grandes Negócios não param de chegar convites para eu participar de eventos, palestrar em empresas e facilitar rodas de conversas, mas tudinhoooo de forma gratuita.

[Confira meu surto aqui.]

O ápice da minha indignação foi quando recebi um convite da Embaixada da Itália para participar do lançamento de um livro e comecei a calcular os custos para estar lá: alimentação, translado, hospedagem… Logo cheguei a conclusão de que nesse momento, seria impossível comparecer a esse evento!

Me senti mal, insatisfeita e profundamente frustrada! Querido leitor, eu recebi um convite da Embaixada da Itália e teria que recusar :( Mas depois de refletir um pouquinho, comecei a ficar irritada comigo mesma por ter me permitido ficar triste com essa situação.

O fato de eu não ter grana para participar de um evento em outro estado não é culpa minha! É culpa desse sistema capitalista de supremacia branca que concentra renda nas mãos de poucos e faz com que a galera preta e de quebrada se mate de trabalhar e mesmo assim, não consiga furar a bolha sistêmica desse privilégio financeiro que permite determinados acessos.

Eu choreeeeei horrores, conversei com Deus e me permiti remoer essa dor por mais ou menos uma semana.

Depois disso enxuguei as lágrimas, decidi que não passaria mais perrengue por conta da grana e comecei a pensar em caminhos para fazer mais dinheiro.

Aprendi na universidade que uma das formas de alcançar a tão sonhada sustentabilidade financeira é através dos investimentos. Em 2019 tive uma aula sobre Finanças Internacionais e um portal se abriu para esse novo universo.

Assisti alguns vídeos da Nathalia Arcuri (Me poupe!) e do Thiago Nigro (O Primo Rico), pedi apoio ao meu professor, abrimos uma conta numa corretora e juntos, compramos minhas primeiras ações: FLEURY, GERDAU, PETROBRAS e USIMINAS.

“Parece até piada que uma ativista climática com essas empresas na carteira, né 🤡.”

Mas já perdoei a inocência da Amanda do passado e agora decidi seguir em frente com meus investimentos, alinhando meus valores com a necessidade de desenvolver uma liberdade financeira a longo prazo.

Marquei um cafezinho com minha amiga Marilise, assessora de investimentos na Genial Investimentos e contei do meu interesse em investir em Empresas B, alinhadas com a temática do ESG e que realmente defendem uma missão de combate às desigualdades, economia inclusiva e proteção ao meio ambiente.

Depois desse encontro, vi que era o momento de fazer um curso que comprei em março de 2021, mas que ficou na gaveta até então. O curso faz parte da plataforma O que o ensino não te ensina, do criador do canal do Youtube Jovens de Negócios, Breno Perrucho.

Eu acompanho o Breno há um tempinho e até já fiz um curso dele, o “Como montar um negócio do zero”. Desse modo, sabia que poderia ir fundo nas aulas pois seria imersa num oceano de muito conhecimento especializado.

Comecei a assistir aulas e passei a entender o que significa Tesouro Selic, Fundos Imobiliários, CDBs e LCs, Mercado Primário, Secundário e Subscrição de Ações, Bitcoins e Criptomoedas, Fundos de investimentos e muito mais.

A princípio, todas essas terminologias me assustaram, pois elas não faziam parte do meu vocabulário e muito menos da minha realidade… Mas parte desse desconforto passou quando assisti o primeiro módulo do curso e ouvi o Breno falar sobre nossa capacidade de aprender.

Me joguei nessa aventura porque desejo me tornar a principal investidora do Instituto Perifa Sustentável, uma ONG que mobiliza juventudes para construir uma nova agenda de desenvolvimento para o Brasil, a partir da perspectiva de raça e clima.

Queridos, a riqueza não é um jogo de soma zero! Quando o dinheiro chega nas mãos de uma mulher preta e de quebrada, as transformações alcançam seu território. Ainda estou dando meus primeiros passos nesse novo mundo, mas sei que com planejamento, disciplina e consistência vou conseguir promover a transformação social que pulsa forte no meu coração.

Foram mais de 15h de conteúdo complexo, aulas que me tiraram da zona de conforto e me fizeram agir. Escolhi dividir essa experiência contigo, meu caro leitor, pois acredito que a emancipação começa pelo conhecimento, passa liberdade e transborda no empoderamento.

Já dizia Dona Gisleide, minha mãezinha:

“Conhecimento é poder!”

Se você tiver condições nesse momento, quero te incentivar a separar parte da sua grana, criar sua reserva de emergência (6 a 12 meses do seu custo de vida) e começar a investir. Tenho certeza que seu eu-do-futuro te agradecerá por essa decisão ❤

Curtiu? Deixe suas palminhas, clicando até 50 vezes :) Aproveite para me seguir no Instagram, no Tiktok e no LinkedIn!

Amanda Costa é internacionalista, jovem embaixadora da ONU, delegada do Brasil no G20 Youth Summit e fundou o Instituto Perifa Sustentável. Formada em Relações Internacionais, Amanda foi reconhecida como #Under30 na revista Forbes, LinkedIn Top Voices e Creator, TEDx Speaker e atua como vice-curadora no Global Shapers, a comunidade de jovens do Fórum Econômico Mundial.

--

--

#ForbesUnder 30 | Conselheira Jovem da ONU | Dir. Executiva do Perifa Sustentável

Love podcasts or audiobooks? Learn on the go with our new app.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store
Amanda da Cruz Costa

Amanda da Cruz Costa

#ForbesUnder 30 | Conselheira Jovem da ONU | Dir. Executiva do Perifa Sustentável